Sunday, September 20, 2015

WOMEN´S EQUALITY DAY 2015



 WOMEN´S EQUALITY DAY 2015

 A MULHER 

           A Mulher, o mais sublime de todos os Seres da Natureza; é o mais nobre, o mais digno, o mais eminente, que vai poder cumprir sua missão Social e Moral, mesmo tendo sido por muitas vezes, e até hoje em dia, mal grado todos os preconceitos do fetichismo, do teologismo, da metafísica e do científico; desconsiderada, por séculos, vai tomar sua posição de destaque, no conjunto da existência da harmonia humana, tanto coletiva como individual, que constituiu e que sempre irá constituir, em todos os tempos, a principal atenção das questões humanas; mas terá que tomar muito cuidado para não abraçar as mesmas armas que alguns do seu sexo complementar - O homem - executaram e ainda executam contra Ela.

        Sendo a Mulher um ser vivo; um organismo, por isto, formado de certa maneira; e, por outro lado, não podendo sobreviver, a não ser, em um determinado meio; e só se manterá neste meio, em virtude de determinadas relações entre o organismo e o meio.

O mesmo ocorre com os homens.

        Ao se enumerar tais relações, aparecem as diversas funções dos animais; de sorte que cada função, isto é, cada ato convergente da natureza viva, corresponde à existência de cada uma destas relações, que são realizadas por intermédio de certa parte do animal; estas partes, que se denominam órgãos.

              Assim, os animais são considerados um conjunto de órgãos; é daí que vem a palavra organismo.

O meio é modificado pela vida do organismo; e o organismo é modificado pelo meio onde vive.

           Estas modificações têm um limite, vai depender da capacidade do organismo; ele vai se adaptando às variações do meio; mas se estas variações forem muito grandes e muito bruscas, o organismo é destruído, aniquila-se, em vez de se transformar. Por isto, não é possível se admitir, que possam ocorrer modificações indefinidas, encima do mesmo organismo.

Devido à reação do organismo sobre o meio, e do meio sobre o organismo, aparece uma dupla aptidão animal:

1.     por um lado, é preciso que o organismo modifique o meio, adaptando-o cada vez mais às condições da existência animal.
2.     por outro lado, é preciso que o organismo, se molde, isto é, ajeite-se ao meio, quando não o puder modificar.

       Quando estudamos os animais, cujos sexos não são separados, notamos que esta dupla aptidão modificadora do organismo e do meio, se concentram no mesmo Ser, e por isto, o Ser não pode se desenvolver, de forma considerável.

      A separação entre os sexos é esboçada por uma serie de manifestações anteriores. Assim, nos Seres inferiores da escala biológica, o animal se reproduz por qualquer parte do corpo; na medida em que se avança na escala, verifica-se que ele se reproduz por certa parte, bem determinada e depois os sexos se separam.

   Esta separação, mostra de imediato que o sexo masculino, representa a aptidão maior, de modificar o meio, em proveito da espécie, é o fator industrial, é o fator de modificação; pois é nisto, que se resume a Indústria.

O Sexo feminino concentra em si, no mais alto grau, a aptidão de modificar a espécie; é o fator Moral por excelência. No entanto, desde as mais antigas notícias de nossa espécie, o ser feminino concentra em si, não somente a reprodução da espécie.

No entanto, encontramos em varias fazes da civilização humana, que o pai, principalmente na antiguidade, partilha desta reprodução, pelo princípio do orgulho masculino, que foi levado a atribuir, a procriação da espécie humana, principalmente ao homem.

Eva nasceu de uma costela de Adão.

Apolo de Esquilo justifica Orestes de ter matado a própria mãe, invocando o testemunho de Minerva; que um homem, não nasce de sua mãe, e que ela Minerva saiu da cabeça de Júpiter.

Estas ideias fantasiosas tiveram força total, até Harvey, que no século XVII -1578 - 1657, proclamou que os Homens provêm essencialmente de sua mãe; e hoje em dia sabemos, que principalmente, no que diz respeito a moral e a sociabilidade, isto tem muito de verdade.

O Homem nasce da união sexual do ovulo e do espermatozoide. As características genéticas contidas nos cromossomas, que por sua vez são expressões dos DNA(s), tanto do pai como da mãe, levam as características do casal, para o futuro Ser, no que diz respeito, a afetividade, a inteligência e ao caráter; bem como, ao comportamento de muitas outras formas psíquicas e orgânicas, de saúde e de patologia. E que durante a gestação a Mulher consegue alterar os locais que armazenam a “psique ou mente ou alma”, isto é, o encéfalo, principalmente na formação dos neurônios e das sinapses.

Podemos verificar que existem certas famílias ou cepas, onde geneticamente se repete o comportamento do caráter; por isto é dito, que 70% do caráter (coragem, prudência e perseverança) é de origem genética, os outros 30% são moldados pelo meio ambiente social.

A Inteligência é de cunho genuinamente genético, ela é aprimorada pela instrução. As inteligências dos sexos femininos e masculinos são complementares. Não existe sexo oposto.

Os Sentimentos existem geneticamente latentes, e são moldados desde a concepção, durante toda a gestação e completados até os 14 anos de idade. É provável que 30% dos sentimentos, fiquem geneticamente residual, por herança genética e por influencia do meio onde vive a gestante, mas uns 70% podem ser moldados pelo meio ambiente.

Como os Sentimentos, tanto os egoístas como os altruístas é que comandam a inteligência, gerando o entusiasmo ao raciocínio, devido às emoções, cuja ação, é policiada pelo caráter; podemos afirmar que devido ao maior período que o Ser Humano, passa para moldar-se, no seu sentimento, é quando está com sua Mãe, dos 9 meses de gestação e dos 14 anos de educação, assim nós viemos mais da Mãe do que do Pai.

Por isso, somos essencialmente filhos de nossas Mães.

É esta a verdade científica, é da Mulher-Mãe, que o Homem descende, ele descende da espécie humana através da Mulher. A Mulher recebe as impressões, do meio de onde vive socialmente, no seu cérebro; seu filho, ao estar no seu ventre, recebe todas estas informações, principalmente sentimentais ou afetivas.

Por esta razão, é que se explica a diversidade de personalidades, tão diferentes, de filhos, nascidos da mesma mãe e do mesmo pai. Pois a personalidade é formada pelo caráter e pelos sentimentos egoístas, eis ai o sentimento, na formação psíquica do Ser humano.

Hoje em dia, a mãe gestante, passa 9 meses naquela atordoada atividade capitalista, de competição, de pleno egoísmo materialista, sob tensão, etc., e depois entrega seu filho, para ser educado em uma creche; que não dá nenhum amor de Mãe, pois creche é negocio, não é família. Daí gera o monstrinho, que vai dar certo no capitalismo selvagem, sem ter nenhum sentimento de veneração para com seus pais; os abandonando na primeira oportunidade.

 Por isso que temos que criar o Capitalismo Policiado.

Será que há condição de se fazer o Paraíso Terrestre?

Foi com esta preocupação, que provocou no grande Mestre Augusto Comte, o Grande Reformador Social, criador não só da Ciência Sociologia Positiva, como da Ciência Moral Positiva, e do registro das 15 Leis Naturais comuns às sete ciências básicas - Matemática, Astronomia, Física, Química, Biologia, a Sociologia e a Moral, em uma visão de vida humanitária, ainda utópica, mas jamais quimérica,

Dentro da Ciência Moral Positiva ou Psicologia Científica, ou ainda conhecida como Ciência da Construção, encontramos sete teoremas, e dentre eles, deparamos com o Teorema Cerebral, onde são expostas as 18 funções cerebrais - 10 dos Sentimentos [ 7 Egoístas e 3 Altruístas], 5 da Inteligência [ Contemplação Concreta e Abstrata; Meditação Indutiva e Dedutiva; Expressão ( Oral, Escrita e Mímica) ]  e 3 do Caráter [ Coragem, Prudência e Perseverança)]. Se existem funções é porque existem órgãos. Com base no comportamento funcional destes órgãos cerebrais, que geram estas atividades laborais, analisaremos as diferenças que existem entre o homem e a Mulher; pois são pelas diferenças que ocorrem as uniões.

Como já foi dito anteriormente, que a diferença capital entre os sexos, reside que o sexo masculino, tem maior aptidão para modificar o meio material, e o sexo feminino, tem maior aptidão para modificar a própria natureza humana.

Assim pela exposição da lógica Científica demonstra-se que igualdade somente de oportunidade.

Por isso, vamos desenvolver algumas conclusões a respeito deste assunto, baseados na Teoria Cerebral de Augusto Comte, cujos termos específicos, ficam para serem esclarecidos em outra oportunidade. Aqueles que desconfiarem da verdade sobre as conclusões aqui assumidas, permaneço às ordens, para, em outro momento, efetuar os esclarecimentos sobre os detalhes desta teoria, que teve origem, em dados da vida prática; não foi pura imaginação de um cérebro privilegiado.

O estudo que a Mulher faz dos entes que a cercam, é mais intimo do que, o que o homem faz, dos tipos materiais, com que ele lida.

A Mulher tem a necessidade de conhecer estes entes mais profundamente; tem que penetrar no âmago de sua natureza, de descobrir seus sentimentos e pensamentos; logo a inteligência feminina, necessita mais de Contemplação Concreta, do que o homem; que necessita de Contemplação Abstrata.

Por isso, as Mulheres têm mais sagacidade; e elas se espantam, por ver que o homem, é tão fácil de ser iludido, enquanto a Mulher não é.

A Mulher não se adapta muito bem, como o homem para as Indústrias [ Bancária, Fabril, Mineração, Comércio, Agropecuária]; no entanto é mais condizente com sua forma de perceber o mundo - na Educação, na Instrução, na Medicina, na Veterinária, na Odontologia, na Sã Política, no Direito/ Deveres; que são as Artes do Bom; mas também se adaptam muito bem nas Belas Artes - na Arte do Belo - na Poesia, como Escritora, na Escultura, na Música, na Pintura e na Arquitetura; e nas atividades administrativas de Governo; e na parte administrativa e repetitiva de pesquisa cientifica.

             As sociedades ditas de regime “cracias” cujos casais heterossexuais deveriam receber dois tipos de Salários – Manutenção e de Produtividade. De Manutenção para a Mulher Mãe, pago pelo Estado e de Produtividade para o marido, pago pelo Patronal, onde encontramos maiores detalhes na minuta da Constituição Societocrática Republicana, que será editada em outro Blog – Constituição Societocrática Republicana, que só serão realmente aprimoradas se o Ser Humano se convencer da tremenda importância da Educação Universal dos Sentimentos (Subordinar o Egoísmo ao Altruísmo), para consolidar sua construção.    
                    
Ao se criar um Sistema de Educação Universal, tendo como princípio instituir o aperfeiçoamento da Natureza Humana no seu tríplice aspecto: físico, intelectual e moral, fará com que a Educação venha ser a principal das Artes do Bem (Medicina, Direito/Deveres e a Política) porque aperfeiçoa todos os campos da atividade, melhorando seus agentes morais, teóricos e práticos.

A todos os Seres Humanos correspondem a uma mesma Educação Geral, no que diz respeito ao seu destino afetivo e intelectual; no entanto no seu aspecto prático ela se divide em dois ramos, segundo o destino ativo da Mulher Mãe, na vida Privada, hoje altamente desfavorável. E do homem na vida pública. Aqui não se deseja retirar o poder político da Mulher.  O que se deseja abordar é que a Mulher tem maior facilidade no desenvolver a atividade poética na estética das artes domésticas.

Queiram ou não as Mulheres são diferentes dos homens; e vice versa; e são pelas diferenças que ocorrem as uniões. Alguns Direitos e DEVERES são iguais, mas graças a DEUS, a grande maioria dos  DEVERES e Direitos  são diferentes. Igualdade somente de oportunidades. 



7.2.1 – AS MULHERES QUE POR VENTURA, DEVIDO A SUA ÍNDOLE OU POR NECESSIDADE, DEVIDO À INSUFICIÊNCIA DO TRABALHO MASCULINO, NO SEIO DA FAMÍLIA, QUEIRAM SE DEDICAR AO TRABALHO FORA DO LAR, QUE O FAÇAM SE ASSIM DESEJAREM, DE COMUM ACORDO COM O CÔNJUGE; DESDE QUE NÃO PREJUDIQUE A EDUCAÇÃO MORAL DOS SEUS FILHOS, ATÉ A IDADE DE 14 ANOS. (TÍTULO I - DO PRINCÍPIO FUNDAMENTAL – CONSTITUIÇÃO SOCIETOCRÁTICA REPUBLICANA - P.A.LACAZ )

Por referÊncia podemos sitar o tipo de mulheres que possuem sentimentos mais familiares  que as individualistas trabalhistas, que se comportam mais dentro desta HARMONIA desejada, para o bem estar da evolução pacífica da humanidade:

https://www.youtube.com/watch?v=2fglY-o-7kA  – Já que neste assunto tratado por uma MULHER o tema é aborto, resolvo deixar aqui o que deve ser compreendido - http://palacazgrandesartigos.blogspot.com.br/2014/06/aborto.html 

- Outro exemplo de MULHER no campo da Educação onde os ricos não pregam o que a ONU  nos impõe: HTTP://ENTRETENIMENTO.R7.COM/BLOGS/BLOG-DA-DB/TAG/BABY-GEORGE/ -

E por fim mais, próximo ao circulo de minhas relações pessoais não posso esquecer das Teologistas:  Minha Mulher: Alfonsa Ana -  alfonsa_ana@hotmail.com;  Minha Irmã Maria Heloisa heloisalacaz@gmail.com , Minha Advogada Nilma Barros – nilmaprocesso@hotmail.com ,  Minha Amiga Graça Lisboa , da Grandíssima amiga  Da. Maria do Socorro Feitosa Silva, de Arapeí-SP e de muitas Senhoras e Senhoritas da Pracinha da Selva de Pedra no Leblon – Rio de Janeiro e finalmente na Grandeza da Política escolhi exemplos de MULHERES ESTADISTAS: Dilma Rousseff (https://www.facebook.com/photo.php?fbid=890115427738635&set=a.828494720567373.1073741829.100002205598180&type=3&theater) (http://blog.planalto.gov.br/dilma-defende-reforma-para-evitar-inacao-e-paralisia-do-conselho-de-seguranca-da-onu/) (http://www.casacivil.gov.br/central-de-conteudos/noticias/2015/setembro/dilma-participa-de-cupula-da-onu-que-decidira-agenda-de-prosperidade-para-2030) , Angela Merkel (https://en.wikipedia.org/wiki/Angela_Merkel#Background_and_early_life
  
          É bom lembrar, neste momento, que a dificuldade de disciplinar a sociedade, sem bloquear a criatividade e o desenvolvimento, isto é, em manter o Progresso subordinado à Ordem, e tendo o Progresso como desenvolvimento da Ordem, não vem da Mulher. A Mulher já nasceu com as qualidades, da supremacia do Altruísmo, e que, se este, já tivesse sido implantado a realidade no nosso Mundo, já seria outra; a dificuldade não é a criança, que por toda parte acompanha a Mulher-Mãe; a dificuldade é do homem adulto, que sai dos braços maternos, e na puberdade, desvia-se dele, e não encontra proteção moral, mesmo na Esposa; aquela proteção moral, equivalente à que lhe dava sua Mãe. Mesmo assim, ainda ficam registradas nos cérebros dos homens adultos, a ternura e a pureza recebida de suas Mães.

Esta é a razão, de que a sociedade moderna, no meio de todas as dificuldades revolucionárias, ainda se sustenta pelo sentimento, graças a solicitude materna, graças a ação moralizadora e santificadora da Mulher Mãe.

Podemos neste momento, com base no Teorema Cerebral de Augusto Comte, por meio dos órgãos da Contemplação, afirmar que a inteligência será superior, entre os dois sexos, quando for  definido o assunto, que tivermos tratando:

·        Caso se trate do estudo do Mundo Moral, é a contemplação Concreta que prevalece - a Mulher é mais inteligente. Sintética - Mais Geral
·        Caso se trate do estudo do Mundo Industrial, é a Contemplação Abstrata que prevalece - O homem é mais inteligente. Analítico - Mais Detalhista

Para harmonizarmos, o ideal é fundir as aptidões; a contemplação concreta com a contemplação abstrata;

·         Fazendo com que a Mulher desenvolva a contemplação abstrata, de modo a adquirir as qualidades mentais do homem;

·         Fazendo com que o homem desenvolva a contemplação Concreta, de modo a adquirir as qualidades mentais da Mulher.

A Contemplação Concreta aproxima-se mais da realidade; a Contemplação Abstrata, nos lança no mundo das idéias, das fantasias, das utopias, das quimeras.

A inteligência da Mulher tem mais com a realidade, por isso se explica a aparente contradição, em se dizer que o homem é mais sonhador. Mas foi através destes sonhos, que o mundo chegou aos tropeços, à evolução científica e tecnológica em que nos encontramos.

Durante o período de gestação e até a criança atingir os 14 anos, deve a Mulher-Mãe se dedicar plenamente ao Lar, e ser muito bem remunerada materialmente para esta atividade, que é sua verdadeira obra de Santificação, mas santificação na Terra, isto é, adaptar cada vez mais o homem, a viver para outrem. Não é dar o seu patrimônio para os outros.

Se isto, que acabamos de dizer não ocorrer, é com certeza, que os maridos se tornarão mais infiéis, se tornarão mais grosseiros; os pais esquecerão os seus deveres;  deixarão as filhas ao abandono, os irmãos irão se comportar do mesmo modo, dando total desprezo as suas irmãs.

Prega-se e aplica-se o divorcio, e é uma minoria insignificante ainda o abraça.

Cabe lembrar, o que Aristóteles, proclamara, "a principal força da Mulher, consiste em vencer a dificuldade de obedecer" e eu complemento que a principal força do homem é vencer a dificuldade de mandar.

·         Não há necessidade de mandar, o que há, é de comandar, com persuasão e conhecimento; e a questão não é obedecer pôr servilismo; mas se houver concordância, se fará com Amor. Um comanda e o outro aconselha.

Os Outros dois Órgãos Cerebrais, referentes a Inteligência, nesta Teoria Cerebral, são os da Meditação Indutiva e da Meditação Dedutiva, que também tem comportamentos diferentes, no caso da Mulher e no caso do homem.

·         A Mulher é mais Generalista - raciocina mais Indutivamente, isto é, do Particular para o Geral, ou Sintetiza - ; Ela percebe os detalhes, isto é, o que é comum no meio da generalidade.- Inteligência de Síntese. - Indutiva - (Síntese)

·         O homem é mais Detalhista - raciocina mais Dedutivamente, isto é, do Geral para o Particular, ou Analisa - Ele procura pela pesquisa, conhecer os detalhes, isto é, como a generalidade é formada. Inteligência de Análise. Dedutiva - (Analítica)

No que se referem aos órgãos da Meditação, as Inteligências, tanto da Mulher como homem, são complementares.

Tanto os Órgãos da Contemplação - concreta e abstrata como os Órgãos da Meditação - indutiva e dedutiva; cujas paridades diferenciam as inteligências da Mulher e do homem, nos traz, um conhecimento, para provocarmos uma forma de ensino, que viesse a induzir as qualidades da Mulher, no homem e vice versa.

Por estas razões, devido às inteligências serem diferentes, no entanto, complementares, é necessário do ponto de vista do aprendizado, a Mulher ter um método, e o homem ter outro método, para receber os ensinamentos.

Aprender é inventar: ensinar é pôr o cérebro, de quem ouve, vê e usa o tato, isto é, de quem pode aprender, nas condições de fazer descobertas. Por isto, não há regras invariáveis, para ensinar a todo o Mundo; cada caso é um caso particular, por isso, a verdadeira mestra é a nossa Mãe, ela percebe que cada filho tem necessidade de aprender de forma diferente.

Como o problema do mundo, está no ensino educativo dos sentimentos e não na Instrução Cientifica e não na política, e como as Mães, são as mais competentes e capazes para executarem esta função educativa, permitam-me prolongar um pouco mais, a este respeito; pois até hoje, Mãe, é Mulher, queiram ou não os que discordamhttp://sccbesme-humanidade.blogspot.com.br/2012/05/same-sex-couples.html


Ensino, como a Instrução e como a Educação,  sempre tem um duplo destino:

           1) Sistematizar a Lógica

2) Divulgar a Doutrina

A Lógica tem por objetivo, desenvolver normalmente, as aptidões para o trabalho intelectual, revelando as leis mentais e cultivando as nossas faculdades de contemplação, meditação e de expressão (mímica, oral e escrita).

Como já notamos, as faculdades Intelectuais femininas são diferentes das masculinas, assim podemos concluir como é difícil dar a mesma demonstração, para o menino e para a menina. Podemos fazer isto para o adulto, porque se supõe, que com o passar do tempo, já tenha ocorrido esta tal preparação; mas quanto à criança, quanto ao adolescente, isto não ocorre; a boa demonstração para o menino, não serve para a menina; aquela que diz servir simultaneamente para ambos; pode-se dizer que não serve nem para um, nem para outro.

Por isso, há necessidade dos professores, usarem de técnicas, que expliquem pelo caminho da lógica feminina e da lógica masculina; no entanto, nada impede que ambos  sexos participem da mesma sala de aula; mas os mestres têm que ficar alerta, pela existência de dois diferentes seres em classe de aula.

Sob o ponto de vista intelectual, verificamos que a Mulher e o homem, são dois entes complementares, e o contraste consiste que a inteligência feminina é mais apta a estudar os fenômenos Morais - Psíquicos; e o homem tem a faculdade intelectual mais desenvolvida para o estudo da natureza do Mundo Material.

Acabamos de ver, a parte mais complexa, para se explicar as diferenças entre Mulher e homem, pelo lado da inteligência e agora como não podemos nos estender no que diz respeito as diferenças, pelo lado dos Sentimentos, isto é, pelo lado da Afetividade, e em seguida pelo lado do Caráter, como podem ser encontrados no artigo   A Harmonia e os Transtornos Mentais Segundo a Teoria Cerebral de Augusto Comte, onde será necessário distinguir na nossa espécie, homo sapiens, aqueles que são mais egoístas e aqueles que são mais Altruístas.  http://palacazgrandesartigos.blogspot.com.br/2014/08/a-harmonia-e-os-transtornos-mentais.html

Aqueles que pensam pela influência dos sentimentos egoístas, induzem o indivíduo, a se referir, tanto sua existência, como os demais de sua espécie, que o circundam, e tudo mais, a si mesmo; eles se acham o centro do mundo.

Aqueles que pensam pela influência dos sentimentos Altruístas, não têm por objetivo o próprio indivíduo, e fazem com que o indivíduo, procure fora de si, desinteressadamente, os motivos de sua existência.

Os Sentimentos comandam a inteligência, que por sua vez dá uma realimentação (feedback)  a ela, para acertar as ações do presente, em função da projeção do passado no planejamento das ações do futuro.

Para esclarecer melhor estas aberrações e dificuldades do comportamento do SER FEMININO COMO UM ÓRGÃO PARTICIPANTE DA SOCIEDADE e para tomarmos os devidos cuidados, PARA EVITARMOS GRANDES CONFLITOS seque alguns exemplos como alertas:
     
1)    MULHERES NAS FORÇAS ARMADAS – E REDUZIR A VIOLÊNCIA ARMADA NOS USA


2)         2)   COMENTÁRIO  AO DIA DA IGUALDADE DE DIREITO DA MULHER - 2015.
                     Leiam o conteúdo deste link abaixo e comparem com os ensinamentos acima e tirem suas conclusões.

3)    TEMOS QUE CRIAR UM DIA PARA COMEMORAR O DIA DA FAMÍLIIA, DA PÁTRIA E DA HUMANIDADE = GRAN SER        

           








Declaração Universal dos DEVERES e dos Direitos Humanos


Sugestão para a ONU Declaração Universal dos DEVERES e dos Direitos Humanos. ( Paulo Augusto LACAZ) 

                                                            Preâmbulo

 Considerando que o reconhecimento da dignidade inerente aos DEVERES individuais, familiares, cívicos, Ocidental, Oriental e Planetário; acompanhados pelos Direitos da igualdade de oportunidades que são inalienáveis e que constitui o fundamento da saúde mental e física de cada Indivíduo; da liberdade com responsabilidade social da Família e da Pátria e da Humanidade; da justiça onde as Leis do Direto que sempre estejam subordinadas as Leis dos DEVERES, para gerar a Paz na evolução científica da Humanidade; Considerando que o desconhecimento e o desprezo do cumprimento dos DEVERES do Homem conduziram a atos de barbárie que provocaram e provocam o Progresso anárquico e a Ordem retrógrada da Humanidade; e que o advento de um mundo em que os seres humanos sejam livres de se expressar e de crer, libertos do terror e da miséria, que é proclamado como a mais alta inspiração do Homem, pela Educação dos Sentimentos, onde ocorra a orientação da subordinação dos egoísmos pelos Altruísmos Humanos; Considerando que é essencial primeiramente o cumprimento dos DEVERES e à proteção dos direitos do Homem através de um regime de DEVERES com a HUMANIDADE, para que o Homem não seja compelido, em supremo recurso, à revolta pela tirania e pela opressão; Considerando que é essencial encorajar o desenvolvimento de relações amistosas entre as nações; Considerando que, na Carta, os povos das Nações Unidas proclamam, de novo, a sua fé demonstrável nos DEVERES fundamentais da Evolução Pacífica da Humanidade, na dignidade e no valor da pessoa humana, da Família, da Pátria, e do Planeta Terra; na igualdade de oportunidades; na separação dos DEVERES dos homens e dos DEVERES das Mulheres, e seus respectivos e diferenciados Direitos; bem como para aqueles seus coincidentes Direitos; sendo que estes últimos conhecidos como Direitos Iguais, que se declaram resolvidos a favorecer o Progresso e a Ordem, no Social e a instaurar melhores condições de vida, dentro de uma liberdade com elevada responsabilidade no campo Moral ou individual. Considerando que os Estados membros se comprometeram a promover, em cooperação com a Organização das Nações Unidas, o respeito universal e efetivo dos Deveres do Homem e de suas liberdades fundamentais; Considerando que uma concepção comum destes DEVERES e Direitos com as liberdades com responsabilidade social é da mais alta importância para dar plena satisfação a tal compromisso: A Assembléia Geral proclama a presente Declaração Universal dos DEVERES e dos Direitos Humanos como ideal comum a atingir por todos os povos e todas as nações, a fim de que todos os indivíduos e todos os órgãos da sociedade, tendo-a constantemente no espírito, se esforcem, pelo ensino científico e pela educação dos Sentimentos, na subordinação do egoísmo ao Altruísmo humano, por desenvolver o respeito desses Direitos e liberdades e por promover, por medidas progressivas de ordem nacional e internacional, seu reconhecimento e sua aplicações Universais e efetivos tanto entre as populações dos próprios Estados membros como entre as dos territórios colocados sob sua jurisdição.

 Artigo 1º Todos os Seres Humanos nascem livres e iguais em dignidade e em oportunidades de cumprir os DEVERES Individuais, Domésticos, Cíveis Ocidentais e Orientais; bem como aos referentes ao Planeta Terra; e exigir os seus Direitos que não contrariem seus respectivos DEVERES. Dotados de razão científica e de sentimentos Altruístas; devendo agir com coragem, prudência e perseverança, com os demais seres humanos, com o objetivo, de criar o espírito de fraternidade. Igualdade somente de oportunidade. Somente o Mérito (capacidade, competência, altruísmo e situação) seja o fator de promoção. 

Artigo 2° Todos os seres humanos podem invocar os Deveres a serem cumpridos e as liberdades com responsabilidade, proclamados na presente Declaração, sem distinção alguma, nomeadamente de raça, de cor, de sexo, de língua, de religião, de opinião política ou outra, de origem nacional ou social, de fortuna, de nascimento ou de qualquer outra situação. Além disso, não será feita nenhuma distinção fundada no estatuto político, jurídico ou internacional do país ou do território da naturalidade da pessoa, seja esse país ou território independente, sob tutela, autônomo ou sujeito a alguma limitação de soberania. 

Artigo 3° 16 Todo indivíduo tem direito à vida, à liberdade com responsabilidade social e à segurança pessoal. 

Artigo 4° Ninguém será mantido em escravatura ou em servidão; a escravatura e o trato dos escravos, sob todas as formas, são proibidos.

 Artigo 5° Ninguém será submetido à tortura nem a penas ou tratamentos cruéis, desumanos ou degradantes.

 Artigo 6° Todos os indivíduos têm direito ao reconhecimento, em todos os lugares, da sua personalidade jurídica. 

Artigo 7° Todos são iguais perante a lei e, sem distinção, têm direito a igual proteção da lei. 7-1) Todos têm o direito a proteção igual contra qualquer discriminação que viole a presente Declaração e contra qualquer incitamento a tal discriminação. Artigo 8° Toda pessoa tem o direito a recurso efetivo para as jurisdições nacionais competentes contra os atos que violem os direitos fundamentais reconhecidos pela Constituição ou pela lei.

 Artigo 9° Ninguém pode ser arbitrariamente preso, detido ou exilado.

 Artigo 10° Toda a pessoa tem direito, em plena igualdade de oportunidade, e que sua causa seja eqüitativa e publicamente julgada por um tribunal independente e imparcial que decida pelo cumprimento dos seus Deveres e dos seus direitos ou das razões de qualquer acusação em matéria penal que contra ela seja deduzida. 

Artigo 11° Toda a pessoa acusada de um ato delituoso presume-se inocente até que sua culpabilidade fique legalmente provada no decurso de um processo público em que todas as garantias necessárias de defesa lhe sejam asseguradas. 11-1) Ninguém será condenado por ações ou omissões que, no momento da sua prática, não constituíam ato delituoso à face do direito interno ou internacional. Do mesmo modo, não será infligida pena mais grave do que a que era aplicável no momento em que o ato delituoso foi cometido. 

Artigo 12° Ninguém sofrerá intromissões arbitrárias na sua vida privada, na sua família, no seu domicílio ou na sua correspondência, nem ataques à sua honra e reputação. Contra tais intromissões ou ataques toda a pessoa tem direito a proteção da lei.

 Artigo 13° Toda a pessoa tem o direito de livremente circular e escolher sua residência no interior de um Estado. 13-1)Toda a pessoa tem o direito de abandonar o país em que se encontra, incluindo o seu, e o direito de regressar ao seu país. 

Artigo 14° Toda a pessoa sujeita a perseguição tem o direito de procurar e de beneficiar de asilo em outros países. Este direito não pode, porém, ser invocado no caso de processo realmente existente por crime de direito comum ou por atividades contrárias aos fins e aos princípios das Nações Unidas.

 Artigo 15° Todo o indivíduo tem direito a ter uma nacionalidade. 15-1)Ninguém pode ser arbitrariamente privado da sua nacionalidade nem do direito de mudar de nacionalidade.

 Artigo 16° A partir da idade núbil, o homem e a mulher têm o direito de casar e de constituir família, sem restrição alguma de raça, nacionalidade ou religião. Durante o casamento e na altura da sua dissolução, ambos têm direitos iguais. 16-1) O casamento não pode ser celebrado sem o livre e pleno consentimento dos futuros esposos. 16-2) A família é o elemento natural e fundamental da sociedade e tem direito à proteção desta e do Estado.

 Artigo 17° Toda a pessoa, individual ou coletiva, tem direito à propriedade. 17-1) Ninguém pode ser arbitrariamente privado da sua propriedade.

 Artigo 18° Toda a pessoa tem direito à liberdade de sentimento, de pensamento e de ação, e de escolher sua religião; este direito implica a liberdade de mudar de religião ou de convicção, assim como a liberdade de manifestar a religião ou convicção; sozinho ou em comum, tanto em público como em privado, pelo Dogma, pelo Culto em pela Doutrina.

 Artigo 19° Todo o indivíduo tem direito à liberdade de opinião e de expressão, o que implica o direito de não ser inquietado pelas suas opiniões e o de procurar, receber e difundir, sem consideração de fronteiras, informações e idéias por qualquer meio de expressão; desde quer não venha perturbar a ordem pública.

 Artigo 20° Toda a pessoa tem direito à liberdade de reunião e de associação pacíficas. 20-1)Ninguém pode ser obrigado a fazer parte de uma associação. 

Artigo 21° Toda a pessoa tem o direito de tomar parte na direção dos negócios públicos do seu país, quer diretamente, quer por intermédio de representantes livremente escolhidos. 21-1)Toda a pessoa tem direito de acesso, em condições de igualdade, às funções públicas do seu país; desde que tenha mérito (Competência, Capacidade, Altruísmo e Situação) para ocupar tal função. À vontade do povo é o fundamento da autoridade dos poderes públicos: e deve exprimir-se através de eleições societocráticas a realizar periodicamente por sufrágio universal e igual, com voto a descoberto ou segundo processo equivalente que salvaguarde a liberdade de voto, por ad-referendum.

 Artigo 22° Toda a pessoa, como membro da sociedade, tem direito à segurança social; e pode legitimamente exigir a satisfação dos Deveres e Direitos econômicos, sociais e culturais indispensáveis, graças ao esforço nacional e à cooperação internacional de harmonia com a organização e os recursos, morais, intelectuais científicos de cada país. 

Artigo 23° Toda a pessoa tem direito ao trabalho, à livre escolha do trabalho, a condições eqüitativas e satisfatórias de trabalho e à proteção contra o desemprego. 23-1) Todos têm direito, sem discriminação alguma, a salário igual por trabalho igual. 23-2) Quem trabalha tem direito a uma remuneração eqüitativa e satisfatória, que lhe permita e à sua família uma existência, conforme a dignidade humana e completada, se possível, por todos os outros meios de proteção social. 23-3) Toda pessoa tem o direito de fundar com outras pessoas, sindicatos e de se filiar em sindicatos para defesa dos seus interesses. 

Artigo 24° Toda pessoa tem direito ao repouso e aos lazeres, especialmente, a uma limitação razoável da duração do trabalho e as férias periódicas pagas. 

Artigo 25° Toda a pessoa tem direito a um nível de vida suficiente para lhe assegurar e a sua família, a saúde e o bem-estar social, principalmente quanto à alimentação, ao vestuário, ao alojamento, à assistência médica e ainda quanto aos serviços sociais necessários; e tem direito à segurança no desemprego, na doença, na invalidez, na viuvez, na velhice ou noutros casos de perda de meios de subsistência por circunstâncias independentes da sua vontade. 25-1) A maternidade e a infância têm direito a ajuda e a assistência especiais. 18 25-2)Todas as crianças, nascidas dentro ou fora do matrimônio, gozam da mesma proteção social. 

Artigo 26° Toda a pessoa tem direito à educação. A educação deve ser gratuita, pelo menos a correspondente ao ensino elementar fundamental. O ensino elementar é obrigatório. O ensino técnico e profissional dever ser generalizado; o acesso aos estudos superiores deve estar aberto a todos em plena igualdade, em função do seu mérito. A educação deve visar à plena expansão da personalidade humana e ao reforço dos direitos do Homem e das liberdades fundamentais e deve favorecer a compreensão, a tolerância e a amizade entre todas as nações e todos os grupos raciais ou religiosos, bem como o desenvolvimento das atividades das Nações Unidas para a manutenção da paz. Aos pais pertence a prioridade do direito de escolher o gênero de educação a dar aos filhos. 

Artigo 27° Toda a pessoa tem o direito de tomar parte livremente na vida cultural da comunidade, de fruir as artes e de participar no progresso científico e nos benefícios que deste resultam. Todos têm direito à proteção dos interesses morais e materiais ligados a qualquer produção científica, literária ou artística da sua autoria. 

Artigo 28° Toda a pessoa tem direito a que vigore, no plano nacional e no plano internacional, uma ordem capaz de tornar plenamente efetivos os Deveres e os direitos e as liberdades com responsabilidade, enunciadas na presente Declaração. 

Artigo 29° O Indivíduo tem Deveres para com a comunidade, fora da qual não é possível o livre e pleno desenvolvimento da sua personalidade; tendo assim que subordinar a sua personalidade a sociabilidade em exercício. 29-1) No exercício deste direito inflamado pela personalidade e no gozo destas liberdades com responsabilidade social, ninguém está sujeito senão às limitações estabelecidas pela lei com vista exclusivamente a promover o reconhecimento e o respeito dos Deveres e direitos com liberdades dos outros e a fim de satisfazer as justas exigências da moral, da ordem pública e do bem-estar numa sociedade societocrática. 29-2) Em caso algum estes Deveres e direitos com liberdades de elevada responsabilidade, poderão ser exercidos contrariamente e aos fins e aos princípios das Nações Unidas.

 Artigo 30° Nenhuma disposição da presente Declaração pode ser interpretada de maneira a envolver para qualquer Estado, agrupamento ou indivíduo o direito de se entregar a alguma atividade ou de praticar algum ato destinado a destruir os Deveres e os respectivos direitos e liberdades com elevada responsabilidade social, aqui enunciado. . 

Wednesday, September 2, 2015

Presidential Proclamation -- Women’s Equality Day, 2015


III Women´s Equality Day 2015
Presidential Proclamation -- Women’s Equality Day, 2015
WOMEN'S EQUALITY DAY, 2015
- - - - - - -
BY THE PRESIDENT OF THE UNITED STATES OF AMERICA
A PROCLAMATION
On August 26, 1920, after years of agitating to break down the barriers that stood between them and the ballot box, American women won the right to vote. On the front lines of pickets and protests, champions from every corner of our country banded together to expand this fundamental freedom to women and forge a path toward fairer representation and greater opportunity. As we celebrate 95 years since the certification of the 19th Amendment, let us demonstrate our commitment to the belief that we are all entitled to equal treatment by supporting policies that help women succeed and thrive.
Since this historic achievement, our country has made great progress in building a freer and fairer society, and we continue striving to fully realize justice and equality for all. There is still more to do to secure the promise of our Nation for everyone, including ensuring that women have equal opportunities to participate in the classroom, the economy, the workplace, and our democracy. From day one, my Administration has carried forward the torch of gender equality, working tirelessly to ensure that all of America's daughters have the same rights as her sons.
When women succeed, America succeeds. That is why I am committed to fighting for equal pay for equal work, and why the first bill I signed into law as President was the Lilly Ledbetter Fair Pay Act, which extended the time period for employees to file complaints of compensation discrimination. I continue to support passage of the Paycheck Fairness Act because there is no reason why an earnings gap between men and women should persist in the 21st century. Women account for more than half of all workers who would benefit from an increase in the minimum wage, and I have called on the Congress to raise the minimum wage and signed an executive order to raise it to $10.10 for individuals working on new Federal service contracts. I have also proposed expanding overtime protections for certain groups of salaried employees -- many of whom are women -- and worked to ensure all Americans have access to quality, affordable child care while they are on the job or in school. And because no woman should have to worry about being fired from her job for missing a day of work when she is sick, caring for a sick family member, or welcoming a new child into her family, we have supported States, communities, and businesses in expanding policies for paid family leave and paid sick days. Additionally, we have called on the Congress to pass the Healthy Families Act to allow employees to earn sick leave.
Women deserve to make their own health care choices without interference from politicians or insurance companies. The Affordable Care Act expands insurance coverage for vital health services for women, including contraceptive care, prenatal care, and maternal care, and it protects women from being charged more than men simply based on gender.
Finally, every woman should have the chance to dream, grow, and thrive free from intimidation or violence, and my Administration has taken unprecedented steps to end domestic and sexual violence. We convened a White House Task Force to Protect Students from Sexual Assault, and launched It's On Us -- a campaign aimed at raising awareness of and preventing sexual assault on college campuses. These are part of our broader effort to make sure that all survivors of sexual assault and domestic violence are supported and that our laws are fully enforced.
Women's equality is a core civil and human rights principle in the United States and around the world. Across America, women are contributing to our economy and our Nation in innovative and exciting ways. From businesses to battlefields, women are vital to the prosperity and security of our country. As we celebrate the last 95 years of progress in advancing women's rights, let us rededicate ourselves to the idea that our Nation is not yet complete: there is still work to do to secure the blessings of our country for every American daughter.
NOW, THEREFORE, I, BARACK OBAMA, President of the United States of America, by virtue of the authority vested in me by the Constitution and the laws of the United States, do hereby proclaim August 26, 2015, as Women's Equality Day. I call upon the people of the United States to celebrate the achievements of women and promote gender equality in our country.
IN WITNESS WHEREOF, I have hereunto set my hand this twenty-fourth day of August, in the year of our Lord two thousand fifteen, and of the Independence of the United States of America the two hundred and fortieth.
BARACK OBAMA

Proclamação Presidencial - Dia da Igualdade da Mulher de 2015

IGUALDADE Dia da Mulher de 2015
PELO PRESIDENTE DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA
PROCLAMAÇÃO

Em 26 de agosto de 1920, depois de anos de agitação para quebrar as barreiras que estavam entre eles e as urnas, as mulheres americanas ganharam o direito de votar. Na linha de frente de piquetes e protestos, campeões de todos os cantos do nosso país se uniram para expandir essa liberdade fundamental de mulheres e forjar um caminho em direção a uma representação mais justa e mais oportunidades. Ao celebrarmos 95 anos desde que a certificação da 19a alteração, vamos demonstrar o nosso compromisso com a crença de que todos temos o direito à igualdade de tratamento por apoiar políticas que ajudem as mulheres a ter sucesso e prosperar.
Desde esta conquista histórica, o nosso país tem feito grandes progressos na construção de uma sociedade livre e mais justo, e nós continuamos lutando para realizar plenamente a justiça e igualdade para todos. Ainda há mais a fazer para garantir a promessa de nossa nação para todos, incluindo a garantia de que as mulheres tenham oportunidades iguais de participação em sala de aula, a economia, o ambiente de trabalho, e nossa democracia. Desde o primeiro dia, minha administração tem levado adiante a tocha da igualdade de gênero, trabalhando incansavelmente para garantir que todas as filhas da América têm os mesmos direitos que os seus filhos.
Quando as mulheres sucesso, América êxito. É por isso que estou empenhado em lutar por salário igual para trabalho igual, e por que o primeiro projeto que eu assinado em lei como presidente foi a Lilly Ledbetter Pay Act Fair, que prorrogou o período de tempo para que os funcionários apresentar queixas de discriminação compensação. Eu continuar a apoiar a aprovação da Lei de Equidade Paycheck porque não há nenhuma razão para que uma diferença salarial entre homens e mulheres deve persistir no século 21. As mulheres representam mais de metade de todos os trabalhadores que se beneficiariam de um aumento do salário mínimo, e eu chamei sobre o Congresso para aumentar o salário mínimo e assinou uma ordem executiva para aumentá-lo para $ 10,10 para os indivíduos que trabalham em novos contratos de serviços federais . Eu também propôs expandir as proteções extras para certos grupos de funcionários assalariados - muitos dos quais são mulheres - e trabalhou para assegurar que todos os americanos tenham acesso à qualidade, cuidados infantis a preços acessíveis, enquanto eles estão no trabalho ou na escola. E porque nenhuma mulher deveria ter que se preocupar em ser demitido de seu trabalho para perder um dia de trabalho quando ela está doente, a cuidar de um familiar doente, ou acolher uma nova criança em sua família, temos apoiado Unidos, comunidades e empresas na expansão de políticas de licença familiar paga e dias doentes pagos. Além disso, pediram ao Congresso para aprovar as famílias saudáveis ​​agir para permitir que os funcionários ganham licença médica.
As mulheres merecem a fazer suas próprias escolhas de cuidados de saúde sem a interferência de políticos ou companhias de seguros. O Affordable Care Act expande cobertura de seguros para os serviços de saúde vitais para as mulheres, incluindo assistência em contracepção, atendimento pré-natal e cuidados maternos, e protege as mulheres de serem cobrados mais do que os homens simplesmente com base no sexo.
Finalmente, todas as mulheres devem ter a chance de sonhar, crescer e prosperar livre de intimidação ou violência, e minha administração tem tomado medidas sem precedentes para acabar com a violência doméstica e sexual. Nós convocou uma Força-Tarefa da Casa Branca para a Proteção dos Estudantes de agressão sexual, e lançou cabe a nós - uma campanha destinada a aumentar a conscientização e prevenção da agressão sexual nos campi universitários. Estes fazem parte do nosso esforço mais amplo para se certificar de que todos os sobreviventes de violência sexual e violência doméstica são suportados e que nossas leis são plenamente aplicadas.
Igualdade das mulheres é um princípio fundamental direitos civis e humanos nos Estados Unidos e ao redor do mundo. Em toda a América, as mulheres estão a contribuir para a nossa economia  e nossa nação de formas inovadoras e excitantes. De empresas para campos de batalha, as mulheres são vitais para a prosperidade e a segurança do nosso país. Ao celebrarmos os últimos 95 anos de progresso no avanço dos direitos das mulheres, vamos dedicar-nos à idéia de que nossa nação ainda não está completa: ainda há trabalho a fazer para assegurar as bênçãos de nosso país para todas as filhas americano.
Agora, portanto, eu, Barack Obama, Presidente dos Estados Unidos da América, em virtude da autoridade investida em mim pela Constituição e as leis dos Estados Unidos, proclamo 26 de agosto de 2015, como o Dia da Igualdade da Mulher. Exorto o povo dos Estados Unidos para celebrar as conquistas das mulheres e promover a igualdade de género no nosso país. Em testemunho do que, eu assino o presente documento neste vigésimo quarto dia do mês de Agosto, no ano de nosso Senhor 2015, e da Independência dos Estados Unidos da América a 240.
BARACK OBAMA
NATIONAL WOMEN´S HISTORY PROJECT –

© National Women’s History Project | P.O. Box 469, Santa Rosa, CA 95402 | 707-636-2888 | nwhp1980@gmail.com | Designed by Strategic Communication Consultants
National Women's History Project
·         Home
·         About
·         Women’s History Month
·         Calendar
·         Resources
·         Performers/Authors
·         Info
·         NWHP STORE
TwitterRssFacebook
Parte inferior do formulário
Women’s Equality Day

At the behest of Rep. Bella Abzug (D-NY), in 1971 the U.S. Congress designated August 26 as “Women’s Equality Day.”
The date was selected to commemorate the 1920 passage of the 19th Amendment to the Constitution, granting women the right to vote. This was the culmination of a massive, peaceful civil rights movement by women that had its formal beginnings in 1848 at the world’s first women’s rights convention, in Seneca Falls, New York.
The observance of Women’s Equality Day not only commemorates the passage of the 19th Amendment, but also calls attention to women’s continuing efforts toward full equality. Workplaces, libraries, organizations, and public facilities now participate with Women’s Equality Day programs, displays, video showings, or other activities.
Joint Resolution of Congress, 1971
Designating August 26 of each year as Women’s Equality Day
WHEREAS, the women of the United States have been treated as second-class citizens and have not been entitled the full rights and privileges, public or private, legal or institutional, which are available to male citizens of the United States; and
WHEREAS, the women of the United States have united to assure that these rights and privileges are available to all citizens equally regardless of sex; and
WHEREAS, the women of the United States have designated August 26, the anniversary date of the passage of the Nineteenth Amendment, as symbol of the continued fight for equal rights: and
WHEREAS, the women of United States are to be commended and supported in their organizations and activities,
NOW, THEREFORE, BE IT RESOLVED, the Senate and House of Representatives of the United States of America in Congress assembled, that August 26th of each year is designated as Women’s Equality Day, and the President is authorized and requested to issue a proclamation annually in commemoration of that day in 1920, on which the women of America were first given the right to vote, and that day in 1970, on which a nationwide demonstration for women’s rights took place.
Printing instructions for Women’s Equality Day Brochure
1. Click 
HERE (link to brochure) to download the brochure (may take a few moments to load – please be patient)
2. Print page 1
3. Turn it upside down and print page 2 on the back (or copy back to back)
* Remember to turn the page upside down when copying the back to ensure proper alignment *
4.
Fold paper into three parts to create a brochure.

Dia da Igualdade da Mulher

A pedido do Rep. Bella Abzug (D-NY), em 1971, o Congresso dos EUA designou 26 de agosto como "Dia da Igualdade da Mulher".

A data foi escolhida para comemorar o 1920 passagem da Emenda 19 à Constituição, que concede às mulheres o direito de voto. Este foi o culminar de um, pacífico movimento dos direitos civis em massa por mulheres que teve o seu início formais em 1848 no primeiro congresso mundial dos direitos das mulheres, em Seneca Falls, Nova Iorque.
A observância do Dia da Igualdade da Mulher não só comemora a passagem da Emenda 19, mas também chama a atenção para a prossecução dos esforços das mulheres em relação plena igualdade. Os locais de trabalho, bibliotecas, organizações e instalações públicas agora participar com os programas do Dia da Igualdade da Mulher, exposições, mostras de vídeo, ou outras atividades.
Resolução Conjunta do Congresso de 1971 designação 26 de cada ano como o Dia da Igualdade da Mulher agosto

CONSIDERANDO que as mulheres dos Estados Unidos têm sido tratados como cidadãos de segunda classe e não ter beneficiado todos os direitos e privilégios, públicos ou privados, legais ou institucionais, que estão disponíveis para os cidadãos do sexo masculino dos Estados Unidos; e
CONSIDERANDO que as mulheres dos Estados Unidos se uniram para garantir que esses direitos e privilégios estão disponíveis a todos os cidadãos igualmente, independentemente do sexo; e
CONSIDERANDO que as mulheres dos Estados Unidos designaram 26 de agosto, a data de aniversário da passagem da décima nona alteração, como símbolo da luta continuou por direitos iguais; e

CONSIDERANDO que as mulheres de Estados Unidos estão a ser elogiado e apoiado em suas organizações e atividades,

AGORA, PORTANTO, FICA RESOLVIDO, o Senado ea Câmara dos Representantes dos Estados Unidos da América no congresso montado, que 26 de agosto de cada ano é designado como o Dia da Igualdade da Mulher, eo Presidente está autorizado e solicitado a emitir uma proclamação anualmente em comemoração desse dia, em 1920, em que as mulheres da América receberam pela primeira vez o direito ao voto, e nesse dia em 1970, em que uma demonstração de âmbito nacional para os direitos das mulheres ocorreu.

• Recursos celebração do Dia da Igualdade
Igualdade Dia brochura do • Mulheres
Instruções de impressão para a Igualdade das Mulheres Dia Folheto

1. Clique aqui (link para brochura) para fazer o download do folheto (pode demorar alguns momentos a carregar - por favor seja paciente)
2. Imprimir página 1
3. Coloque-o de cabeça para baixo e imprimir a página 2 na parte traseira (ou copiar de volta para trás)
* Lembre-se de virar a página de cabeça para baixo quando copiar o de volta para garantir o alinhamento correto *
4. Fold papel em três partes para criar um folheto.
=====================================================================================================================================================

A MULHER 
           A Mulher, o mais sublime de todos os Seres da Natureza; é o mais nobre, o mais digno, o mais eminente, que vai poder cumprir sua missão Social e Moral, mesmo tendo sido por muitas vezes, e até hoje em dia, mal grado todos os preconceitos do fetichismo, do teologismo, da metafísica e do científico; desconsiderada, por séculos, vai tomar sua posição de destaque, no conjunto da existência da harmonia humana, tanto coletiva como individual, que constituiu e que sempre irá constituir, em todos os tempos, a principal atenção das questões humanas; mas terá que tomar muito cuidado para não abraçar as mesmas armas que alguns do seu sexo complementar - O homem - executaram e ainda executam contra Ela.

        Sendo a Mulher um ser vivo; um organismo, por isto, formado de certa maneira; e, por outro lado, não podendo sobreviver, a não ser, em um determinado meio; e só se manterá neste meio, em virtude de determinadas relações entre o organismo e o meio.

O mesmo ocorre com os homens.

        Ao se enumerar tais relações, aparecem as diversas funções dos animais; de sorte que cada função, isto é, cada ato convergente da natureza viva, corresponde à existência de cada uma destas relações, que são realizadas por intermédio de certa parte do animal; estas partes, que se denominam órgãos.

              Assim, os animais são considerados um conjunto de órgãos; é daí que vem a palavra organismo.

O meio é modificado pela vida do organismo; e o organismo é modificado pelo meio onde vive.

           Estas modificações tem um limite, vai depender da capacidade do organismo; ele vai se adaptando às variações do meio; mas se estas variações forem muito grandes e muito bruscas, o organismo é destruído, aniquila-se, em vez de se transformar. Por isto, não é possível se admitir, que possam ocorrer modificações indefinidas, encima do mesmo organismo.

Devido à reação do organismo sobre o meio, e do meio sobre o organismo, aparece uma dupla aptidão animal:

1.     por um lado, é preciso que o organismo modifique o meio, adaptando-o cada vez mais às condições da existência animal.
2.     por outro lado, é preciso que o organismo, se molde, isto é, ajeite-se ao meio, quando não o puder modificar.

       Quando estudamos os animais, cujos sexos não são separados, notamos que esta dupla aptidão modificadora do organismo e do meio, se concentram no mesmo Ser, e por isto, o Ser não pode se desenvolver, de forma considerável.

      A separação entre os sexos é esboçada por uma serie de manifestações anteriores. Assim, nos Seres inferiores da escala biológica, o animal se reproduz por qualquer parte do corpo; na medida em que se avança na escala, verifica-se que ele se reproduz por certa parte, bem determinada e depois os sexos se separam.

   Esta separação, mostra de imediato que o sexo masculino, representa a aptidão maior, de modificar o meio, em proveito da espécie, é o fator industrial, é o fator de modificação; pois é nisto, que se resume a Indústria.

O Sexo feminino concentra em si, no mais alto grau, a aptidão de modificar a espécie; é o fator Moral por excelência. No entanto, desde as mais antigas notícias de nossa espécie, o ser feminino concentra em si, não somente a reprodução da espécie.

No entanto, encontramos em varias fazes da civilização humana, que o pai, principalmente na antiguidade, partilha desta reprodução, pelo princípio do orgulho masculino, que foi levado a atribuir, a procriação da espécie humana, principalmente ao homem.

Eva nasceu de uma costela de Adão.

Apolo de Esquilo justifica Orestes de ter matado a própria mãe, invocando o testemunho de Minerva; que um homem, não nasce de sua mãe, e que ela Minerva saiu da cabeça de Júpiter.

Estas ideias fantasiosas tiveram força total, até Harvey, que no século XVII -1578 - 1657, proclamou que os Homens proveem essencialmente de sua mãe; e hoje em dia sabemos, que principalmente, no que diz respeito a moral e a sociabilidade, isto tem muito de verdade.

O Homem nasce da união sexual do ovulo e do espermatozoide. As características genéticas contidas nos cromossomas, que por sua vez são expressões dos DNA(s), tanto do pai como da mãe, levam as caraterísticas do casal, para o futuro Ser, no que diz respeito, a afetividade, a inteligência e ao caráter; bem como, ao comportamento de muitas outras formas psíquicas e orgânicas, de saúde e de patologia. E que durante a gestação a Mulher consegue alterar os locais que armazenam a “psique ou mente ou alma”, isto é, o encéfalo, principalmente na formação dos neurônios e das sinapses.

Podemos verificar que existem certas famílias ou cepas, onde geneticamente se repete o comportamento do caráter; por isto é dito, que 70% do caráter (coragem, prudência e perseverança) é de origem genética, os outros 30% são moldados pelo meio ambiente social.

A Inteligência é de cunho genuinamente genético, ela é aprimorada pela instrução. As inteligências dos sexos feminino e masculino são complementares. Não existe sexo oposto.

Os Sentimentos existem geneticamente latentes, e são moldados desde a concepção, durante toda a gestação e completados até os 14 anos de idade. É provável que 30% dos sentimentos, fiquem geneticamente residual, por herança genética e por influencia do meio onde vive a gestante, mas uns 70% podem ser moldados pelo meio ambiente.

Como os Sentimentos, tanto os egoístas como os altruístas é que comandam a inteligência, gerando o entusiasmo ao raciocínio, devido às emoções, cuja ação, é policiada pelo caráter; podemos afirmar que devido ao maior período que o Ser Humano, passa para moldar-se, no seu sentimento, é quando está com sua Mãe, dos 9 meses de gestação e dos 14 anos de educação, assim nós viemos mais da Mãe do que do Pai.

Por isso, somos essencialmente filhos de nossas Mães.

É esta a verdade científica, é da Mulher-Mãe, que o Homem descende, ele descende da espécie humana através da Mulher. A mulher recebe as impressões, do meio de onde vive socialmente, no seu cérebro; seu filho, ao estar no seu ventre, recebe todas estas informações, principalmente sentimentais ou afetivas.

Por esta razão, é que se explica a diversidade de personalidades, tão diferentes, de filhos, nascidos da mesma mãe e do mesmo pai. Pois a personalidade é formada pelo caráter e pelos sentimentos egoístas, eis ai o sentimento, na formação psíquica do Ser humano.

Hoje em dia, a mãe gestante, passa 9 meses naquela atordoada atividade capitalista, de competição, de pleno egoísmo materialista, sob tensão, etc., e depois entrega seu filho, para ser educado em uma creche; que não dá nenhum amor de Mãe, pois creche é negocio, não é família. Daí gera o monstrinho, que vai dar certo no capitalismo selvagem, sem ter nenhum sentimento de veneração para com seus pais; os abandonando na primeira oportunidade.

 Por isso que temos que criar o Capitalismo Policiado.

É isto, que queremos para os terráqueos?

Isto é vida?

Será que há condição de se fazer o Paraíso Terrestre?

Foi com esta preocupação, que provocou no grande Mestre Augusto Comte, o Grande Reformador Social, criador não só da Ciência Sociologia Positiva, como da Ciência Moral Positiva, e do registro das 15 Leis Naturais comuns às sete ciências básicas - Matemática, Astronomia, Física, Química, Biologia, a Sociologia e a Moral, em uma visão de vida humanitária, ainda utópica, mas jamais quimérica,

Dentro da Ciência Moral Positiva ou Psicologia Científica, ou ainda conhecida como Ciência da Construção, encontramos sete teoremas, e dentre eles, deparamos com o Teorema Cerebral, onde são expostas as 18 funções cerebrais - 10 dos Sentimentos [ 7 Egoístas e 3 Altruístas], 5 da Inteligência [ Contemplação Concreta e Abstrata; Meditação Indutiva e Dedutiva; Expressão ( Oral, Escrita e Mímica) ]  e 3 do Caráter [ Coragem, Prudência e Perseverança)]. Se existem funções é porque existem órgãos. Com base no comportamento funcional destes órgãos cerebrais, que geram estas atividades laborais, analisaremos as diferenças que existem entre o homem e a Mulher; pois são pelas diferenças que ocorrem as uniões. Como já foi dito anteriormente, que a diferença capital entre os sexos, reside que o sexo masculino, tem maior aptidão para modificar o meio material, e o sexo feminino, tem maior aptidão para modificar a própria natureza humana.

Vamos conhecer algumas conclusões a respeito deste assunto, baseados na Teoria Cerebral, cujos termos específicos, ficam para serem esclarecidos em outra oportunidade. Aqueles que desconfiarem da verdade sobre as conclusões aqui assumidas, eu permaneço às ordens, para, em outro momento, efetuar os esclarecimentos sobre os detalhes desta teoria, que teve origem, em dados da vida prática; não foi pura imaginação de um cérebro privilegiado.

O estudo que a Mulher faz dos entes que a cercam, é mais intimo do que, o que o homem faz, dos tipos materiais, com que ele lida.

A Mulher tem a necessidade de conhecer estes entes mais profundamente; tem que penetrar no âmago de sua natureza, de descobrir seus sentimentos e pensamentos; logo a inteligência feminina, necessita mais de Contemplação Concreta, do que o homem; que necessita de Contemplação Abstrata.

Por isso, as Mulheres têm mais sagacidade; e elas se espantam, por ver que o homem, é tão fácil de ser iludido, enquanto a Mulher não é.

A Mulher não se adapta muito bem, como o homem para as Indústrias [ Bancária, Fabril, Mineração, Comércio, Agropecuária]; no entanto é mais condizente com sua forma de perceber o mundo - na Educação, na Instrução, na Medicina, na Veterinária, na Odontologia, na Sã Política, no Direito/ Deveres; que são as Artes do Bom; mas também se adaptam muito bem nas Belas Artes - na Arte do Belo - na Poesia, como Escritora, na Escultura, na Música, na Pintura e na Arquitetura; e nas atividades administrativas de Governo; e na parte administrativa e repetitiva de pesquisa cientifica.

             As sociedades ditas de regime “cracias” cujos casais heterossexuais deveriam receber dois tipos de Salários – Manutenção e de Produtividade. De Manutenção para a Mulher Mãe, pago pelo Estado e de Produtividade para o marido, pago pelo Patronal, onde encontramos maiores detalhes na minuta da Constituição Societocrática Republicana, que será editada em outro Blog – Constituição Societocrática Republicana, que só serão realmente aprimoradas se o Ser Humano se convencer da tremenda importância da Educação Universal dos Sentimentos (Subordinar o Egoísmo ao Altruísmo), para consolidar sua construção.    
                    
Ao se criar um Sistema de Educação Universal, tendo como princípio instituir o aperfeiçoamento da Natureza Humana no seu tríplice aspecto: físico, intelectual e moral, fará com que a Educação venha ser a principal das Artes do Bem (Medicina, Direito/Deveres e a Política) porque aperfeiçoa todos os campos da atividade, melhorando seus agentes morais, teóricos e práticos.

A todos os Seres Humanos correspondem a uma mesma Educação Geral, no que diz respeito ao seu destino afetivo e intelectual; no entanto no seu aspecto prático ela se divide em dois ramos, segundo o destino ativo da Mulher Mãe, na vida Privada, hoje altamente desfavorável. E do homem na vida pública. Aqui não se deseja retirar o poder político da Mulher.  O que se deseja abordar é que a Mulher tem maior facilidade no desenvolver a atividade poética na estética das artes domésticas.

Queiram ou não as Mulheres são diferentes dos homens; e vice versa; e são pelas diferenças que ocorrem as uniões. Alguns Direitos e Deveres são iguais, mas graças a DEUS, a grande maioria dos Direitos e Deveres são diferente. Igualdade somente de oportunidades.

7.2.1 – AS MULHERES QUE POR VENTURA, DEVIDO A SUA ÍNDOLE OU POR NECESSIDADE, DEVIDO À INSUFICIÊNCIA DO TRABALHO MASCULINO, NO SEIO DA FAMÍLIA, QUEIRAM SE DEDICAR AO TRABALHO FORA DO LAR, QUE O FAÇAM SE ASSIM DESEJAREM, DE COMUM ACORDO COM O CÔNJUGE; DESDE QUE NÃO PREJUDIQUE A EDUCAÇÃO MORAL DOS SEUS FILHOS, ATÉ A IDADE DE 14 ANOS. (TÍTULO I - DO PRINCÍPIO FUNDAMENTAL – CONSTITUIÇÃO SOCIETOCRÁTICA REPUBLICANA - P.A.LACAZ )


         É bom lembrar, neste momento, que a dificuldade de disciplinar a sociedade, sem bloquear a criatividade e o desenvolvimento, isto é, em manter o Progresso subordinado à Ordem, e tendo o Progresso como desenvolvimento da Ordem, não vem da Mulher. A Mulher já nasceu com as qualidades, da supremacia do Altruísmo, e que, se este, já tivesse sido implantado a realidade no nosso Mundo, já seria outra; a dificuldade não é a criança, que por toda parte acompanha a Mulher-Mãe; a dificuldade é do homem adulto, que sai dos braços maternos, e na puberdade, desvia-se dele, e não encontra proteção moral, mesmo na Esposa; aquela proteção moral, equivalente à que lhe dava sua Mãe. Mesmo assim, ainda ficam registradas nos cérebros dos homens adultos, a ternura e a pureza recebida de suas Mães.

Esta é a razão, de que a sociedade moderna, no meio de todas as dificuldades revolucionárias, ainda se sustenta pelo sentimento, graças a solicitude materna, graças a ação moralizadora e santificadora da Mulher Mãe.

Podemos neste momento, com base no Teorema Cerebral de Augusto Comte, por meio dos órgãos da Contemplação, afirmar que a inteligência será superior, entre os dois sexos, quando for  definido o assunto, que tivermos tratando:

·         Se se trata do estudo do Mundo Moral, é a contemplação Concreta que prevalece - a Mulher é mais inteligente. Sintética - Mais Geral
·         Se se trata do estudo do Mundo Industrial, é a Contemplação Abstrata que prevalece - O homem é mais inteligente. Analítico - Mais Detalhista

Para harmonizarmos, o ideal é fundir as aptidões; a contemplação concreta com a contemplação abstrata;

·         Fazendo com que a Mulher desenvolva a contemplação abstrata, de modo a adquirir as qualidades mentais do homem;

·         Fazendo com que o homem desenvolva a contemplação Concreta, de modo a adquirir as qualidades mentais da Mulher.

A Contemplação Concreta aproxima-se mais da realidade; a Contemplação Abstrata, nos lança no mundo das ideias, das fantasias, das utopias, das quimeras.

A inteligência da Mulher tem mais com a realidade, por isso se explica a aparente contradição, em se dizer que o homem é mais sonhador. Mas foi através destes sonhos, que o mundo chegou aos tropeços, à evolução científica e tecnológica em que nos encontramos.

Durante o período de gestação e até a criança atingir os 14 anos, deve a Mulher-Mãe se dedicar plenamente ao Lar, e ser muito bem remunerada materialmente para esta atividade, que é sua verdadeira obra de Santificação, mas santificação na Terra, isto é, adaptar cada vez mais o homem, a viver para outrem. Não é dar o seu patrimônio para os outros.

Se isto, que acabamos de dizer não ocorrer, é com certeza, que os maridos se tornarão mais infiéis, se tornarão mais grosseiros; os pais esquecerão os seus deveres;  deixarão as filhas ao abandono, os irmãos irão se comportar do mesmo modo, dando total desprezo as suas irmãs.

Prega-se e aplica-se o divorcio, e é uma minoria insignificante ainda o abraça.

Cabe lembrar, o que Aristóteles, proclamara, "a principal força da Mulher, consiste em vencer a dificuldade de obedecer" e eu complemento que a principal força do homem é vencer a dificuldade de mandar.

·         Não há necessidade de mandar, o que há, é de comandar, com persuasão e conhecimento; e a questão não é obedecer pôr servilismo; mas se houver concordância, se fará com Amor. Um comanda e o outro aconselha.

Os Outros dois Órgãos Cerebrais, referentes a Inteligência, nesta Teoria Cerebral, são os da Meditação Indutiva e da Meditação Dedutiva, que também tem comportamentos diferentes, no caso da Mulher e no caso do homem.

·         A Mulher é mais Generalista - raciocina mais Indutivamente, isto é, do Particular para o Geral, ou Sintetiza - ; Ela percebe os detalhes, isto é, o que é comum no meio da generalidade.- Inteligência de Síntese. - Indutiva - (Síntese)

·         O homem é mais Detalhista - raciocina mais Dedutivamente, isto é, do Geral para o Particular, ou Analisa - Ele procura pela pesquisa, conhecer os detalhes, isto é, como a generalidade é formada. Inteligência de Análise. Dedutiva - (Analítica)

No que se referem aos órgãos da Meditação, as Inteligências, tanto da Mulher como homem, são complementares.

Tanto os Órgãos da Contemplação - concreta e abstrata como os Órgãos da Meditação - indutiva e dedutiva; cujas paridades diferenciam as inteligências da Mulher e do homem, nos traz, um conhecimento, para provocarmos uma forma de ensino, que viesse a induzir as qualidades da Mulher, no homem e vice versa.

Por estas razões, devido às inteligências serem diferentes, no entanto, complementares, é necessário do ponto de vista do aprendizado, a Mulher ter um método, e o homem ter outro método, para receber os ensinamentos.

Aprender é inventar: ensinar é pôr o cérebro, de quem ouve, vê e usa o tato, isto é, de quem pode aprender, nas condições de fazer descobertas. Por isto, não há regras invariáveis, para ensinar a todo o Mundo; cada caso é um caso particular, por isso, a verdadeira mestra é a nossa Mãe, ela percebe que cada filho tem necessidade de aprender de forma diferente.

Como o problema do mundo, está no ensino educativo e não na política, e como as Mães, são as mais competentes e capazes para executarem esta função educativa, permitam-me prolongar um pouco mais, a este respeito; pois até hoje, Mãe, é Mulher, queiram ou não os que descordam.

Ensino sempre tem um duplo destino:

           1) Sistematizar a Lógica

2) Divulgar a Doutrina

A Lógica tem por objetivo, desenvolver normalmente, as aptidões para o trabalho intelectual, revelando as leis mentais e cultivando as nossas faculdades de contemplação, meditação e de expressão (mímica, oral e escrita).

Como já notamos, as faculdades Intelectuais femininas são diferentes das masculinas, assim podemos concluir como é difícil dar a mesma demonstração, para o menino e para a menina. Podemos fazer isto para o adulto, porque se supõe, que com o passar do tempo, já tenha ocorrido esta tal preparação; mas quanto à criança, quanto ao adolescente, isto não ocorre; a boa demonstração para o menino, não serve para a menina; aquela que diz servir simultaneamente para ambos; pode-se dizer que não serve nem para um, nem para outro.

Por isso, há necessidade dos professores, usarem de técnicas, que expliquem pelo caminho da lógica feminina e da lógica masculina; no entanto, nada impede que ambos  sexos participem da mesma sala de aula; mas os mestres têm que ficar alerta, pela existência de dois diferentes seres em classe de aula.

Sob o ponto de vista intelectual, verificamos que a Mulher e o homem, são dois entes complementares, e o contraste consiste que a inteligência feminina é mais apta a estudar os fenômenos Morais - Psíquicos; e o homem tem a faculdade intelectual mais desenvolvida para o estudo da natureza do Mundo Material.

Acabamos de ver, a parte mais complexa, para se explicar as diferenças entre Mulher e homem, pelo lado da inteligência e agora como não podemos nos estender no que diz respeito as diferenças, pelo lado dos Sentimentos, isto é, pelo lado da Afetividade, e em seguida pelo lado do Caráter, fica combinado que  estes Órgãos serão apresentados em palestras a serem realizadas pelo Senhor Paulo Augusto Lacaz e agendadas pelo contato do e-mail lacaze@terra.com.br   e/ou sccbesme.humanidade@gmail.com

Quanto aos Órgãos Afetivos ou dos Sentimentos e os do Caráter, que serão bem apresentados na Palestra, pelo Tema - A Harmonia e os Transtornos Mentais Segundo a Teoria Cerebral de Augusto Comte, onde será necessário distinguir na nossa espécie homo sapiens, aqueles que são mais egoístas e aqueles que são mais Altruístas.

Aqueles que pensam pela influência dos sentimentos egoístas, induzem o indivíduo, a se referir, tanto sua existência, como os demais de sua espécie, que o circundam, e tudo mais, a si mesmo; eles se acham o centro do mundo.

Aqueles que pensam pela influência dos sentimentos Altruístas, não têm por objetivo o próprio indivíduo, e fazem com que o indivíduo, procure fora de si, desinteressadamente, os motivos de sua existência.

Os Sentimentos comandam a inteligência, que por sua vez dá uma realimentação a ela, para acertar as ações do presente, em função da projeção do passado no planejamento das ações do futuro.

Aguardo-os na Palestra*, desejando-lhes,
Saúde, com respeito e Fraternidade,
         Paulo Augusto LACAZ
                Presidente
SCCBESME-HUMANIDADE
(*) As Palestras são remuneradas. Todos os artigos e livros são gratuitos.


Padre Paulo Ricardo -

ABORTO
Mulher que calou as Feministas (Renata Gusson Martins)









JUDICIÁRIO

Política
















A EVOLUÇÃO DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO
http://www.urcamp.edu.br/congrega2010/revista/artigos/911.pdf

   ICPG                                         Instituto Catarinense de Pós-Graduação www.icpg.com.br                                       1    

A EVOLUÇÃO DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO
Elisiana Renata Probst
Instituto Catarinense de Pós-Graduação – ICPG Gestão Estratégica de Recursos Humanos

Orientador: Ms. Paulo Ramos
Professor de Metodologia Científica e da Pesquisa Instituto Catarinense de Pós-graduação – ICPG

Resumo

Tudo iniciou com as I e II Guerras Mundiais em que as mulheres tiveram que assumir a posição dos homens no mercado de trabalho.Com a consolidação do sistema capitalista no século XIX, algumas leis passaram a beneficiar as mulheres. Mesmo com estas conquistas algumas explorações continuaram a existir. Através da evolução dos tempos modernos as mulheres conquistaram seu espaço. As estatísticas apontam que há mais mulheres do que homens no Brasil. Mostram também que elas vêm conseguindo emprego com mais facilidades e que seus rendimentos crescem a um ritmo mais acelerado que os homens. Mesmo com todas estas evoluções da mulher no mercado de trabalho, ela ainda não está numa condição de vantagem em relação aos homens, pois continua existindo muito preconceito e discriminação, mas principalmente desigualdade salarial entre homens e mulheres.

Palavras chave: Mulher, mercado de trabalho, discriminação, desigualdade.
INTRODUÇÃO
Este artigo trata sobre a evolução da mulher no mercado de trabalho. As convenções do início do século, ditavam que o marido era o provedor do lar. A mulher não precisava e não deveria ganhar dinheiro. As que ficavam viúvas, ou eram de uma elite empobrecida, e precisavam se virar para se sustentar e aos filhos, faziam doces por encomendas, arranjo de flores, bordados e crivos, davam aulas de piano etc. Mas além de pouco valorizadas, essas atividades eram mal vistas pela sociedade. Mesmo assim algumas conseguiram transpor as barreiras do papel de ser apenas esposa, mãe e dona do lar, ficou, para atrás a partir da década de 70 quando as mulheres foram conquistando um espaço maior no mercado de trabalho.
O mundo anda apostando em valores femininos, como a capacidade de trabalho  em equipe contra o antigo individualismo, a persuasão em oposição ao autoritarismo, a cooperação  no lugar da competição.
As mulheres ocupam postos nos tribunais superiores, nos ministérios, no topo de grandes empresas, em organizações de pesquisa de tecnologia de ponta. Pilotam jatos, comandam tropas, perfuram poços de petróleo.


Não há um único gueto masculino que ainda não tenha sido invadido pelas mulheres. Não há dúvidas de que nos últimos anos a mulher está cada vez mais presente no mercado de trabalho. Este fenômeno mundial tem ocorrido tanto em países desenvolvidos como em desenvolvimento,  e o Brasil não é exceção.
É importante, no entanto, ressaltarmos que a inserção da mulher no mundo do trabalho vem sendo acompanhada, ao longo desses anos, por elevado grau de discriminação, não só no  que tange à qualidade das ocupações que têm sido criadas tanto no setor formal como no informal do mercado de trabalho, mas principalmente no que se refere à desigualdade salarial  entre homens e mulheres.
O presente artigo está organizado da seguinte forma: um pouco da história, a participação da mulher no mercado de trabalho, a questão da instrução e a desigualdade em relação a rendimentos (salários), o trabalho da mulher no Brasil e vários dados estatísticos em relação a evolução da mulher no mercado de trabalho.
HISTÓRIA - MERCADO DE TRABALHO
De acordo com o Artigo 113, inciso 1 da Constituição Federal, “todos são iguais perante a lei”. Mas será que a realidade é essa mesma? Desde o século XVII, quando o movimento feminista começou a adquirir características de ação política, as mulheres vem tentando  realmente colocar em prática essa lei.
Isso começou de fato com as I e II Guerras Mundiais (1914 – 1918 e 1939 – 1945, respectivamente), quando os homens iam para as frentes de batalha e as mulheres passavam a assumir os negócios da família e a posição dos homens no mercado de trabalho.
Mas a guerra acabou. E com ela a vida de muitos homens que lutaram pelo país. Alguns dos que sobreviveram ao conflito foram mutilados e impossibilitados de voltar ao trabalho. Foi nesse momento que as mulheres sentiram-se na obrigação de deixar a casa e os filhos para levar adiante os projetos e o trabalho que eram realizados pelos seus maridos.
No século XIX, com a consolidação do sistema capitalista inúmera mudanças ocorreram na produção e na organização do trabalho feminino. Com o desenvolvimento tecnológico e o intenso crescimento da maquinaria, boa parte da mão-de-obra feminina foi transferida para as fábricas.
Desde então, algumas leis passaram a beneficiar as mulheres. Ficou estabelecido na Constituição de 32 que “sem distinção de sexo, a todo trabalho de igual valor correspondente salário igual; veda-se o trabalho feminino das 22 horas às 5 da manhã; é proibido o trabalho da mulher grávida durante o período de quatro semanas antes do parto e quatro semanas depois; é proibido despedir mulher grávida pelo simples fato da gravidez”.
Mesmo com essa conquista, algumas formas de exploração perduraram durante muito tempo. Jornadas entre 14 e 18 horas e diferenças salariais acentuadas eram comuns. A justificativa desse ato estava centrada no fato de o homem trabalhar e sustentar a mulher. Desse


modo, não havia necessidade de a mulher ganhar um salário equivalente ou superior ao do homem.
A PARTICIPAÇÃO DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO
Pesquisas recentes comprovam um fenômeno que não obedece fronteiras. Cresce exponencialmente o número de mulheres em postos diretivos nas empresas. Curiosamente, essa ascensão se dá em vários países, de maneira semelhante, como se houvesse um silencioso e pacífico levante de senhoras e senhoritas no sentido da inclusão qualificada no mundo do trabalho. Segundo alguns analistas, esse processo tem origem na falência dos modelos  masculinos de processo civilizatório. Talvez seja verdade. Os homens, tidos como superiores, promovem guerras, realizam atentados, provocam tumultos nos estádios, destroem o meio ambiente e experimentam a aflição inconfessa de viver num mundo em que a fibra ótica substituiu o cipó. Quando já não se necessita tanto de vigor físico para a caça, vale mais o conhecimento que permite salgar ou defumar a carne, de modo a preservá-la por mais tempo. Enfim, caso Tarzan não se recicle, os filmes do futuro serão estrelados somente por Jane.
No Brasil, as mulheres são 41% da força de trabalho, mas ocupam somente 24% dos cargos de gerência. O balanço anual da Gazeta Mercantil revela que a parcela de mulheres nos cargos executivos das 300 maiores empresas brasileiras subiu de 8%, em 1990, para 13%, em 2000. No geral, entretanto, as mulheres brasileiras recebem, em média, o correspondente a 71% do salário dos homens. Essa diferença é mais patente nas funções menos qualificadas. No topo, elas quase alcançam os homens. Os estudos mostram que no universo do trabalho as mulheres  são ainda preferidas para as funções de rotina. De cada dez pessoas afetadas pelas lesões por esforço repetitivo (LER), oito são mulheres.
Segundo uma pesquisa recente feita pelo Grupo Catho, empresa de recrutamento e seleção de executivos, as mulheres conquistam cargos de direção mais cedo. Tornam-se diretoras, em média, aos 36 anos de idade. Os homens chegam lá depois dos 40. No entanto, essas executivas ganham, em média, 22,8% menos que seus competidores de colarinho e gravata. A boa notícia é que essa diferença nos rendimentos vem caindo rapidamente. Por estar a menos tempo no mercado, é natural que elas tenham currículos menos robustos que os dos homens. A diferença nos ganhos tende a inexistir em futuro próximo.
Em 1991, a renda média das brasileiras correspondia a 63% do rendimento masculino.  Em 2000, chegou a 71%. As conquistas comprovam dedicação, mas também necessidade. Em 1991, 18% das famílias eram chefiadas por mulheres. Segundo o Censo, essa parcela subiu para 25%. Das 10,1 milhões de vagas de trabalho abertas entre 1989 e 1999, quase 7  milhões acabaram preenchidas por mulheres. As pesquisas revelam que quase 30% delas apresentam em seus currículos mais de dez anos de escolaridade, contra 20% dos profissionais masculinos.
Segundo o Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade), houve crescimento da taxa de atividade para as mulheres em todas as faixas etárias. A pesquisa revela ainda que no ano passado não ocorreu mudança no perfil etário da População Economicamente Ativa ( PEA) feminina.
Em 2001, 30% da PEA feminina correspondiam às mulheres com 40 anos ou mais; 40% àquelas entre 25 e 39 anos; 23% às jovens de 18 a 24 anos; 5% as de 15 a 17 anos; e apenas 1%  às que tinham entre 10 e 14 anos.


As estatísticas apontam que há mais mulheres que homens no Brasil. Mostram também que elas vem conseguindo emprego com mais facilidade que seus concorrentes do sexo masculino. E que seus rendimentos crescem a um ritmo mais acelerado que o dos homens.
As mulheres sofrem mais do que os homens com o estresse de uma carreira, pois as pressões do trabalho fora de casa se duplicaram. As mulheres dedicam-se tanto ao trabalho quanto o homem e, quando voltam para casa, instintivamente dedicam-se com a mesma intensidade ao trabalho doméstico. Embora alguns homens ajudem em casa, não chegam nem perto da energia que a mulher tende a dar.
Recordo-me de uma palestra de Tom Peters, proferida em 2000. Perguntaram-lhe: “Se  o senhor tivesse uma grande empresa e fosse se Aposentar, o que faria?” Sem tibubear, ele respondeu que contrataria para o mais alto cargo executivo uma mulher dinâmica e inteligente, recrutada em uma boa escola. Em seguida, selecionaria 100 jovens talentosos, já familiarizados com os instrumentos e ambientes da era digital, e os colocaria sob as ordens dessa líder. Segundo ele, essa seria a fórmula ideal para garantir a longevidade da empresa, com elevados padrões de qualidade e competitividade. Exageros à parte, concordo que a proposta de Peters aponta para modelos corretos de reivindicação das organizações. As mulheres, sem dúvida, têm se adaptado mais rapidamente a essa realidade competitiva dos novos tempos (JULIO, 2002, p. 135).
INSTRUÇÃO MUDANDO CONCEPÇÕES
Pesquisas mostram que no Brasil as mulheres são escolhidas para a maior parte das novas vagas. Coincidentemente, elas têm se preocupado mais do que os homens com a instrução. A Fundação Seade mostra que, em 1994, 35% das mulheres contavam com o ensino médio completo. Ao final da década, esse número chegou a 43%.
Na empresa do conhecimento, a mulher terá cada vez mais importância estratégica, pois trabalha naturalmente com a diversidade e processos multifuncionais. A
sensibilidade feminina, por exemplo, permite a constituição de equipes de trabalho marcadas pela diferença e pela heterogeneidade. E isso é bom? Certamente que sim. Equipes desse tipo, quando atuam de forma sinérgica, fazem emergir soluções variadas e criativas para problemas aparentemente insolúveis. A empresa que aposta na singularidade de seus interlocutores internos se torna mais inteligente, mais capaz e mais ágil.
A vida profissional compartilhada com as mulheres tem se revelado mais ativa, mais colorida e mais interessante. Esse intercâmbio de conhecimentos e sensibilidades tem se mostrado proveitoso para ambas as partes. Troca-se razão porcriatividade, matemática por poesia, disciplina por afetividade. E vice-versa. Reafirmo a necessidade de aprendizado permanente e as mulheres são boas professoras por natureza. Enfim, diria que não importa o sexo ou a opção sexual. Quem aspira a uma carreira de sucesso tem que assumir, de agora em diante, um perfil mais feminino. E este conselho vale também para as mulheres que ainda não descobriram suas próprias virtudes (JULIO, 2002, p. 136).
Nos dias atuais, há belos exemplos da competência feminina em postos de direção nas grandes empresas. É o caso de Marluce Dias, na Rede Globo, e de Maria Sílvia Bastos Marques, na Companhia Siderúrgica Nacional (CSN). Gostaria de citar ainda o caso de Chieko Aoki, do Grupo Blue Tree Hotels, que iniciou a carreira como secretária bilíngue na Ford e que depois atuou na construtora Guarantã. Com muito esforço e dedicação, ela criou sua própria empresa de administração hoteleira.


A vida da mulher no trabalho é um paraíso? Ainda não. As pesquisas demonstram a persistência de algum preconceito, que dificulta o progresso na carreira e mantém os holerites femininos mais magros que os masculinos. Diretoras pesquisadas pelo Grupo Catho, por  exemplo, recebem 22,8% menos que seus colegas. De maneira geral, no Brasil, as mulheres ganham o equivalente a 61% do salário dos homens. O problema afeta especialmente as profissões de salário mais baixo. Quando sobem na carreira e adquire maior qualificação, as mulheres têm seu talento mais bem remunerado. Assim, no topo elas quase se igualam aos homens. O mais interessante é que nesse processo de conquista as mulheres que mais avançam são justamente aquelas que não fazem da condição feminina seu cavalo de Tróia. O feminismo não as levou além das manchetes de jornais e noticiários de televisão. Nenhuma mulher se tornou astronauta, juíza da Suprema Corte, presidente de uma corporação apenas por não ser homem. Ou seja, não subiram por necessidade das corporações de diversificar seu quadro. Subiram por seus méritos medidos pelos padrões que valem tanto para homens quanto para mulheres. Poderiam ter subido em maior número? Ou seja, já que são mais da metade da população, deveriam ser também mais da metade dos líderes empresariais, dos deputados e senadores? Mais da metade  dos médicos e engenheiros? A resposta a essa pergunta vem de um estudo estatístico feito pela Universidade Harvard, nos Estados Unidos, segundo o qual isso é uma questão a que só o tempo responderá. É inútil fazer projeções. Se as mulheres passarem a ser maioria em todos os degraus de entrada das profissões em questão, não haverá discriminação nem preconceito que as impeçam de chegar em igualdade de condições ao topo da pirâmide das empresas e das instituições. A beleza do estudo de Harvard está em que, se a condição feminina, ao contrário do que se imagina, não atrasou a chegada das mulheres ao mercado de trabalho, essa mesma condição também não é motor de seu progresso.
O TRABALHO DA MULHER NO BRASIL
Pouco a pouco as mulheres vão ampliando seu espaço na economia nacional. O fenômeno ainda é lento, mas constante e progressivo. Em 1973, apenas 30,9% da População Economicamente Ativa (PEA) do Brasil era do sexo. Segundo os dados da Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílio (PNAD), em 1999, elas já representavam 41,4% do total da força de trabalho. Um exército de aproximadamente 33 milhões. Em Santa Catarina,  elas  ocupavam 36,7% das vagas existentes em 1997. Quatro anos depois, em 2000, mais 62 mil mulheres ingressaram pela primeira vez no mercado, aumentando a participação em 1,1 ponto percentual. Analisando este fenômeno, temos que levar em conta um universo muito maior, pois há uma mudança de valores sociais nesse caso. A mulher deixou de ser apenas uma parte da família para se tornar o comandante dela em algumas situações. Por isso, esse ingresso no mercado é uma vitória. O processo é lento, mas sólido. Outra peculiaridade que acompanha a mulher é a sua “terceira jornada”. Normalmente, além de cumprir suas tarefas na empresa, ela precisa cuidar dos afazeres domésticos. Isso acontece em quase 90% dos casos. Em uma década, o número de mulheres responsáveis pelos domicílios brasileiros aumentou de 18,1% para 24,9%, segundo os dados da pesquisa “Perfil das Mulheres Responsáveis pelos Domicílios no Brasil”, desenvolvida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
As catarinenses conquistaram mais vagas no setor de serviços, onde representam 46,9%  do total de empregados. Numa pesquisa de amostragem, o grupo mostra que 31,6% dos cargos de encarregado são ocupados por mulheres.


Para as mulheres a década de 90 foi marcada pelo fortalecimento de sua participação no mercado de trabalho e o aumento da responsabilidade no comando das famílias. A mulher, que representa a maior parcela da população, viu aumentar seu poder aquisitivo, o nível de escolaridade e conseguiu reduzir a defasagem salarial que ainda existe em relação aos homens. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou dois estudos com o balanço dos ganhos e as dificuldades enfrentadas pelas brasileiras ao longo dos anos 90. A renda média das trabalhadoras passou de R$ 281,00 para R$ 410,00. As famílias comandadas por mulheres passaram de 18% do total para 25%. A média de escolaridade dessas “chefes de família” aumentou em um ano de 4,4 para 5,6 anos de estudos. A média salarial passou de R$ 365 para R$ 591 em 2000. Uma dificuldade a ser vencida é a taxa de analfabetismo, que ainda está 20%.  Outra característica da década foi consolidar a tendência de queda da taxa de  fecundidade iniciada em meados da década de 60. As mulheres têm hoje 2,3 filhos. Há 40 anos, eram 6,3 filhos.
A história da mulher no mercado de trabalho, no Brasil, está sendo escrita com base, fundamentalmente, em dois quesitos: a queda da taxa de fecundidade e o aumento no nível de instrução da população feminina. Estes fatores vêm acompanhando, passo a passo, a crescente inserção da mulher no mercado e a elevação de sua renda. A analista do Departamento de Rendimento do IBGE Vandeli Guerra defende que a velocidade com que isto se dá não é o mais relevante. O que estamos constatando é uma quebra de tabus em segmentos que não empregavam mulheres. Nas Forças Armadas, por exemplo, elas estão ingressando pelo oficialato. Para consolidar sua posição no mercado, a mulher tem cada vez mais adiado projetos pessoais, como a maternidade. A redução no número de filhos é um dos fatores que tem contribuído para facilitar a presença da mão-de-obra feminina, embora não isto seja visto pelo técnicos do IBGE como uma das causas da maior participação da mulher no mercado.
A redução da fecundidade ocorreu com mais intensidade nas décadas de 70 e 80. Os anos 90 já começaram com uma taxa baixa de fecundidade: 2,6% que cai para 2,3% no fim da década. Com menos filhos, as mulheres puderam conciliar melhor o papel de mãe e trabalhadora.
LUTAS E CONQUISTAS
Você entra numa empresa e percebe, a grosso modo, que 80% das pessoas que nela trabalham são mulheres. A Segunda constatação, porém, é mais surpreendente: apenas 10% destas mulheres ocupam cargos de chefia. Se esta é a regra geral, não se pode afirmar  exatamente.  No  entanto,  de  acordo  com o  estudo realizado  pelo Hudson Institute, dos Estados
Unidos, o “Workforce 2000: Work and Workers for th 21st. Centuty” ( Força de Trabalho 2000: Trabalho e Trabalhadores para Século XXI), este quadro vai mudar. Ou melhor, já está mudando,
e esta é uma tendência global.As mulheres, dizem os especialistas, serão as líderes deste mílênio.
A expectativa é de que neste século, pela primeira vez na história, as mulheres superem em número os homens nos postos de trabalho. Se soubere aproveitar isso, capitalizando oportunidades emergentes, o impacto no mercado de trabalho será, de fato, singular. Significa o rompimento de uma forte estrutura, as hierarquias empresariais moldadas pelos homens a partir da Era Industrial. A mulher da atualidade nem de longe tem o mesmo perfil daquelas que encontravam realização trabalhando nas linhas de produção.


A diferença comportamental entre meninos e meninas é evidente desde os primeiros anos. Pode-se dizer que esta característica é bastante clara durante toda a vida. Mas, qual é, de fato, a atual realidade no mundo empresarial? Atualmente, os líderes ainda são os homens. São eles que mandam e detêm a vantagem no jogo. A própria estrutura social deu margem a esta tal divisão de trabalho. A regra é clara: homens são os que mandam e mulheres, as subordinadas.
Em contrapartida, o século 20 mostrou a chamada inversão de papéis, Ou seja, as mulheres conquistando maior destaque no competitivo mundo dos negócios e os homens, por sua vez, assumindo a manutenção do lar e o cuidado com as crianças. Mas se as mulheres desejarem sair vencedoras nesta empreitada, terão de dominar as regras que eles criaram.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Hoje o perfil das mulheres é muito diferente daquele do começo do século. Além de trabalhar e ocupar cargos de responsabilidade assim como os homens, ela aglutina as tarefas tradicionais: ser mãe, esposa e dona de casa.
Trabalhar fora de casa é uma conquista relativamente recente das mulheres. Ganhar seu próprio dinheiro, ser independente e ainda ter sua competência reconhecida é motivo de orgulho para todas.
Apesar da evolução da mulher dentro de uma atividade que era antes exclusivamente masculina, e apesar de ter adquirido mais instrução, os salários não acompanharam este crescimento. As mulheres ganham cerca de 30% a menos que os homens exercendo a mesma função. Conforme o salário cresce, cai a participação feminina. Entre aqueles que recebem mais de vinte salários, apenas 19,3% são mulheres. Embora exista uma certa discriminação em relação ao trabalho feminino, elas estão conseguindo um espaço muito grande em áreas que antes era reduto masculino, e ganhou o respeito mostrando um profissionalismo muito grande. Apesar de ser de forma ainda pequena, está sendo cada vez maior o número de mulheres que ganham mais que o marido.
O grande desafio para as mulheres dessa geração, é tentar reverter o quadro da desigualdade salarial entre homens e mulheres.
Pelo menos, elas já provaram que além de ótimas cozinheiras, podem também ser boas motoristas, mecânicas, engenheiras, advogadas e sem ficar atrás de nenhum homem. Já está mais do que provado que as mulheres são perfeitamente capazes de cuidar de si, de conquistar aquilo que desejam e de provocar mudanças profundas no curso da história.
REFERÊNCIAS
FALCÃO, Juliana. Elas realmente não fogem à luta. http://www.geogle.com.br. Acesso em: 06 de janeiro de 2003.
JÚLIO, Carlos Alberto. Reinventando você: a dinâmica dos profissionais e a nova organização. Rio de Janeiro: Campus, 2002.


RAMOS, Murilo e TORRES, Flávia. Novidade: A igualdade está ficando igual. VEJA, São Paulo, Edição especial, n.48, p.66-70. maio.2000.
SAFFIOTI, Heleieth I. B.O poder do macho. São Paulo: Moderna, 1987.000
PRIORE, Mary Del e BASSANEZI, Carla. História das mulheres no Brasil. 2. ed.São Paulo : Contexto, 1997.

NOS USA PROFESSORES VÃO REPROVAR QUEM CLASSIFICAR FAMININO E MASCULINO


31 de agosto de 2015 (LifeSiteNews) - Vários professores de uma faculdade estão usando suas posições de autoridade para regular o discurso de seus alunos, ameaçando reprovado ou mesmo expulsar jovens de classe se eles usam certas frases ofensivas em sala de aula - como "referindo-se a mulheres / homens como mulheres ou homens ".
Gênero e homossexualidade política estão entre as áreas os professores estão olhando para influenciar os jovens em suas aulas, juntamente com raça e ideologia imigração.
Os termos de enfrentamento ao fenômeno que poderia pousar estudantes em água quente em um número de classes da Universidade Estadual de Washington incluem "imigrante ilegal" e "ilegais", CampusReform.org relatórios, mas também considerado opressivo e ódio por um professor são as próprias definições de gênero, " Masculino e feminino."
O programa para Selena Lester Breikss '"Women & Cultura Popular" class diz:
Generalizações grosseiras, estereótipos e linguagem depreciativa / opressiva não são aceitáveis. Uso de racista, sexista, homofóbico, os transexuais, xenófobo, classista ou linguagem ofensiva geral em sala de aula ou apresentação de tal material não será tolerado. (Isto inclui "The Man", "Pessoas de Cor", "Ilegais / Illegal Aliens", "Tranny" e assim por diante -. Ou seja referente a mulheres / homens como mulheres ou homens)
Estudantes na classe Breikss 'poderia ser expulso ou reprovado se não cumprir com sua decreto sobre a linguagem "opressivo".
"Se eu vê-lo ou ouvi-lo, vou corrigi-lo em sala de aula, uma vez que pode ser um momento de aprendizagem para muitos estudantes," Breikss afirma no programa."O uso repetido da linguagem opressiva e odioso serão tratadas em conformidade - incluindo mas não limitado a remoção da classe sem atendimento ou de participação pontos, falha da tarefa, e - em casos extremos - falha para o semestre."
Estudantes brancos em uma outra classe Estado de Washington também será penalizado se eles não "adiar" a seus pares não-brancos.
E em outro, eles terão o seu grau reduzido um ponto para cada uso dos termos "estrangeiros ilegais" e "ilegais".
Em "raça e racismo nos EUA, Cultura Popular" de Michael Johnson Jr. estudantes de classe são obrigados a "reconhecer" a existência de várias opressões, incluindo "heterossexismo".
O esforço por parte do corpo docente ou outra liderança nos campi universitários para coibir atitudes tradicionais e cristãos em favor do politicamente correto é não um fenômeno novo.
Um estudante da Universidade Marquette foi proibida de articular sua visão bíblica do casamento no ano passado, e um professor efetivo foi demitido de lá no ano passado, bem como para expressar sua opinião a favor do casamento.
Universidade Johns Hopkins negado um pró-vida reconhecimento organização estudantil em 2013 até ameaçou com ação legal.
Banners de liberdade religiosa foram proibidos em Sinclair College, em Ohio no ano anterior.
A ação foi ajuizada contra o Los Angeles District Community College em 2009, após um professor censurado e ameaçou expulsar um aluno que tinha dado um discurso sobre casamento e sua fé cristã em uma classe de falar em público. O professor tinha também disse à sua classe fossem um "fascista (explicativo)" se eles votaram a favor da Proposição 8 da Califórnia em defesa do casamento.

Ajude-nos a expor Planned Parenthood

$ 5 nos ajuda a chegar a mais de 1.000 pessoas com a verdade!